Método UCPE –Serve pra quê?

Oi gente! Tão boas? Vira e mexe aparece coisas estranhas aqui né? Método UCPE que isso agora?

Não estou inventando história não! Vieram me contar desse tal método UCPE , eu nem estava entendida das coisas porque na verdade, pra mim, isso tem outro nome, e por sinal já virou “carne de vaca” de tanto que a gente fala no assunto, afinal quem não sabe o que é a umectação!

óleos vegetais

Não é a toa que as “miga sua loka” do Blog ficam tudo confusa! Afinal é umectação ou UCPE que tenho que fazer?

Pois eu tinha que descobrir o que era esse método UCPE, e destrinchar a coisa aqui.




O que é o método UCPE?

O método UCPE é um tratamento capilar a base de óleos vegetais.


É uma técnica de umectação que também é condicionada, as siglas se referem a como é feito o tratamento com óleos vegetais:



  • U- Umectar;
  • C- Condicionar;
  • P- Pausar;
  • E- Enxaguar

Como fazer o método UCPE?

 Você só precisar fazer uma umectação caprichada e depois condicionar o cabelo (condicionadores Co-Wash) por uma pausa de 10 a 15 minutos, depois é só enxaguar.

Agora me explica Lucy… Porque condicionar se o óleo já promove a nutrição, retém a hidratação?


Porque na lavagem “pode” perder todo o tratamento com shampoo. Então meninas, na verdade o método garante que a umectação fique no cabelo e assim seja mais duradouro seu tratamento com óleos vegetais.


Nós já não fazemos isso???

Não! 

Normalmente ninguém usa um condicionador após umectação, a gente lava com shampoo e condicionador e só. A técnica meninas é para usar um condicionador sem petrolatos e silicones (aqueles próprios para co-wash) e depois de uma pausa enxaguar!!

Não mudou quase nada né? Mas há controvérsias quando se pesquisa sobre óleos!

Não posso utilizar qualquer óleo no método UCPE?

Se você conhecer os óleos e suas gorduras, como comentamos aqui, então alguns óleos não devem ficar no co-wash depois, porque vai dar saturação de nutrientes e o cabelo vai pesar além da conta, pode anotar as meninas de cabelos finos, lisos, com danos e progressivas que gostam da umectação.

Por exemplo:

Óleo de coco- Vai ali no google e pesquisa a criança (ops!o óleo!). Ele é super saturado, gorduroso, dos “bão” pra modelar. Mas se deixar esse trem no cabelo fino de marré deci, e passar condicionador sem lavar com shampoo, então colega… vai pesar. As meninas cacheadas gente… são diferentes na hidratação do que a gente de cabelo fino e ralo, minguado, então… mesmo que a gente adote a técnica, você precisa usar shampoo… use sem sulfato, mas vai precisar tirar a gordura do fio.


Mas não vai ficar tratamento? Ficar vai, a maleabilidade e a hidratação ele vai promover aliado com shampoo suave e sem sulfato. Mas se quer algo mais forte para fios quebradiços então, escolhe um óleo que encorpa e que você sabe que lavando com shampoo, a coisa fica no cabelo!!


Óleo de Rícino- Esse trem é pesado, e dos bão pra encorpar a finura do nosso loiro, pode se jogar sem medo! Vamos lá no google ver a composição da criança!

O Óleo de rícino é monoinsaturado, ele tem o poder na sua composição porque pode aderir até o córtex do fio, para um cabelo danificado então, o rícino é o néctar dos Deuses! Se você umectar o cabelo com óleo de Rícino e lavar com shampoo no dia seguinte não vai perder a umectação que fez. 

E se ta na dúvida faça! Veja a grande diferença dos óleos após a lavagem!

Assim como óleo de abacate ou óleo de Buriti é mono.


Os melhores para Método UCPE

Considerando que vai utilizar mais um ingrediente pra selagem do fio após a umectação, os óleos poliinsaturados que fixam mais nas camadas do fio podem ser melhores aproveitados com esse método, principalmente porque são leves e podem durar mais seu tratamento aliado ao condicionador, além do que não vão pesar no cabelo!!

Óleo de semente de uva- Esse óleo é uma fofura no cabelo né? É poliinsaturado, suas gorduras são diferente dos trens bão ai de cima, mas esse também é bom, e como sai fácil, é mais leve é uma ótima opção para o método UCPE.

Óleo de Linhaça- A gente não faz aquela receita pra fazer o gel de linhaça e colocar no cabelo? Já fizeram? Pois façam! Vão ver a riqueza do óleo poliinsaturado e leve que faz sentido no fio e nas escamas. Esse também é perfeito com o método UCPE

Óleo de castanha do Para- esse ta no tete a tete sabe ? Tem um pouco de cada coisa e pode ser uma belezura no fio porque tem muita vitamina e pode usar de duas maneiras, anota esse trem aqui também.

Assim como podem usar o óleo de girassol, cártamo, milho.

Que negócio é esse de composição de óleo, oxee! Ta doida??

Gente, seguinte. Esse negócio de composição de óleos é muito, muito pesquisado em artigos acadêmicos aqui no google escola, e nas terras gringas também, porque tem gente que toma as coisas pra dieta, tem óleo que aumenta colesterol e alguns que fazem até pior, e é nessas gorduras saturadas, mono e poli que se tira dos óleos o quanto vai fazer de bem ou de mal. 


Para o cabelo não é diferente, uns podem nutrir até o córtex, outros são muito gordurosos e dão efeito superficial, e outros ainda podem fixar as cutículas e ser o "silicone natural" que você precisa.

Inclusive quem usa pra dieta deveria pesquisar mais sobre o assunto.

Conclusão


Então vocês entenderam a coisa toda? 

O método é muito legal com certeza, basta aliar o condicionador na umectação simples assim, porém com óleos mais leves e que a gente sabe que utilizando um condicionador a coisa não vai pesar e vai manter o cabelo como a gente quer.

Para as cacheadas, acredito que mesmo os óleos mais gordos e saturados como o de coco não pesa por conta da própria estrutura do cabelo, mesmo assim né meninas, tem cachos muito diferenciados, então, faz o teste e vê qual o melhor pra você.

Depois eu faço um passo a passo com alguns desses tres bão ai

Pesquisa mais gente:

Fontes:
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-695X1996000200008&script=sci_arttext&tlng=pt
https://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=http://www.earthsfriends.com/canola-oil-vs-olive-oil-vs-vegetable-oil-vs-coconut-oil-vs-almond-oil/&prev=search
http://bjft.ital.sp.gov.br/artigos/especiais/2010/artigos_bjb_v70ne/05_bjft_v13ne_13e0103.pdf

Aqui tem mais sobre óleos:

Este conteúdo é original de PnC