Óleos Vegetais- Tipos


óleos
Foto: Reprodução


Oi gente! Tão boas? Algumas de vocês já leram por aqui aquelas matérias sobre os óleos vegetais nos cabelos? Vale relembrar pra entender o assunto de hoje, que responde algumas das dúvidas de algumas leitoras:



Lendo estes primeiros textos da pra entender até mesmo outros posts onde a umectação é citada como “demais” para alguns cabelos, e também porque alguns óleos vegetais são mais indicados que outros, porque os benefícios mudam, porque alguns pesam no cabelo e mesmo assim não entram no córtex, porque tem óleo que é melhor na umectação que outro e aqueles que são melhores pra modelar, etc, etc.


Com isso, quero seguir a mesma matéria com intuito informativo, mas não especificando a composição química, embora muito que se fale aqui será facilmente entendido.

O que preciso saber sobre óleos?

Óleos vegetais são gorduras, ácidos graxos classificados de acordo com o número de ligações saturadas ou insaturadas, com muitos nutrientes diferentes entre si, tanto podem ser monoinsaturados ou poliinsaturados, ter ômega e vitamina E ou não, e ainda assim ter seus benefícios no fio.


Da pra perceber que os óleos vegetais são muito diferentes na composição de suas gorduras, portanto a umectação que você faz com óleo de rícino não é a mesma que faz com óleo de coco.


No entanto, a sua composição de ácidos gordos varia de acordo com a planta ou fonte depende da tecnologia de processo durante a sua produção. O estudo sobre os óleos foram obtidos principalmente por formas mecânicas nas condições que não causam quaisquer alterações na sua composição química. 

Para muitas pesquisas a composição química do óleo puro vegetal tem muita importância já que é utilizado para consumo, e entre outras formas de uso para dietas, é indispensável as pesquisas sobre os óleos e o que acarreta pra saúde a curto e longo prazo. Vendo desta maneira sua relevância nas pesquisas é exatamente sobre sua composição natural, e pura, que tem comentários sobre seus benefícios a curto e longo prazo.

Na verdade é um assunto bem discutido lá fora por conta das gorduras puras dos óleos e seu impacto na saúde humana. E claro que alguns desses óleos vegetais que usamos industrializados podem não ter a mesma proporção de pureza que estamos falando aqui certo? Mas da pra ser entendido que tudo que é revendido em larga escala pode ser alterada sua composição. 

Para os cosméticos, seguindo um manual já publicado:


Óleos e gorduras são constituídos principalmente ácidos graxos denominados mono, (…) sendo que os ácidos graxos representam geralmente 90 % em peso do glicerídeo enquanto que o glicerol ou glicerina é 10 %.


Nos cosméticos funcionam como nutrição e protetores da hidratação, porque sua emoliência retém a hidratação deixando as cutículas mais alinhadas e também tem poderes nutritivos fortes mesmo aliado a outros ingredientes solúveis.

Não é a toa que no programa de tratamento cronograma capilar, a nutrição, vem depois da hidratação!!!


Óleos Vegetais não tem o mesmo benefício?

Eles não tem o mesmo benefício para cada tipo de cabelo, porque primeiro depende do cabelo e do estado dele o que ele precisa, segundo que cada tipo de óleo vegetal pode ser mais pesado para o cabelo, pode ser mais penetrante que outros na fibra capilar e essa diferença será fundamental tanto para modelar o cabelo quanto para encorpar o fio e proteger e evitar a quebra.

Os óleos mais usados podem ser especialmente melhores para o encorpamento do cabelo e não precisa ser expert nesse assunto meninas pra entender um pouco do assunto, então se quer saber os benefícios que eles tem, só pesquise no google mesmo qual  óleo que você quer, claro que “acreditamos” que as fontes do wikipédia são seguras e por isso logo que pesquisar seu óleo verá a quantidade específica de gorduras saturadas, mono e poliinsaturadas, então pra não ficar “sequelhas” de dúvidas veja só, traduzindo em óleos estas gorduras fica assim:

  • Gorduras saturadas;
  • Gorduras Monoinsaturadas;
  • Gorduras Poliinsaturadas;


  1. Por exemplo, o azeite de oliva, rícino, de abacate é uma gordura monoinsaturada o que significa que vai agir na cutícula alcançando o córtex doando mais resistência ao cabelo. Devem ser aplicados no cabelo seco. Aplicar no cabelo úmido acaba reduzindo a absorção desse óleo no fio.
  2. Já óleos como linhaça, de uva, amêndoa são ricos em gordura poliinsaturada ficam mais na superfície do fio, ou seja na cutícula e promovem a selagem do cabelo, estes são os indicados para manter a hidratação selando o cabelo, e também para fios finos, porque são leves e não pesam. (fonte).
  3. Os óleos de coco e babaçu são óleos saturados que promovem a alta emoliência no cabelo, sua gordura pode ser vista como ruim, porém é excelente para cabelos muitos ressecados, são estes óleos os mais pesados para o cabelo.


Fica claro que óleos que são "mais" monoinsaturados podem fortalecer, nutrir mais na força do fio e na emoliência do cabelo do que apenas promover a oleosidade que lhes falta para uma modelagem por exemplo.

 

Porque tem óleo que pesa mais no cabelo e o resultado não é o mesmo?

São os óleos pesados que tem a gordura saturada.

O óleo de coco é um óleo que muita gente usa pra umectar, mas se for ver sua composição ele é mais prático na modelagem, já que funciona como o peso que o cabelo precisa pra comportar o fio e o "up" que o cabelo ressecado necessita.

Uma coisa que muita gente pergunta é a diferenças dos óleos de cocos, de babaçu e de coco que são na verdade duas plantas diferentes e assim seus óleos também, e mesmo que os dois venham de cocos, ainda assim são diferentes mesmo sendo saturados.

O óleo de Rícino que compramos na farmácia mesmo industrializado e até grosso demais para umectação funciona de certa forma, no córtex do fio, e quem usa sente os benefícios dele até dias depois, o que muito não se acredita por técnicas químicas...

Qual óleo vegetal devo comprar para o cabelo?

Vou falar por mim se fosse pesquisar sobre algum óleo, viria claro quais suas principais gorduras, (não é difícil essa pesquisa no google) e então poderia descobrir de que forma utiliza-lo.


  • Já o rícino industrializado pra mim serve no córtex;
  • O óleo de coco mais pra modelar assim como a linhaça;
  • O azeite extra virgem que de virgem não tem tanta coisa assim vai servir no que pretendemos do mesmo modo, lembre-se de que os óleos nos cosméticos tem sua real função de nutrição!

Bom... pensando nisso tudo o que define pra vocês o método UCPE no cabelo?

Beijos


Tem mais do assunto aqui:
http://www.itto.int/files/itto_project_db_input/2202/Technical/3.1.1%20Manual%20de%20cosm%C3%A9ticos.pdf
http://www.health.harvard.edu/staying-healthy/the-truth-about-fats-bad-and-good
http://www.mdpi.com/1422-0067/16/6/12871/pdf

Este conteúdo é original de PnC