Incompatibilidade de químicas e crescimento capilar


Incompatibilidade de químicas

Oi gente! Tão boas? Sabe que algumas coisas são assim, como as cores, elas não se misturam. É assim na coloração com determinados tons, e também é assim com químicas não compatíveis. Mas vamos entender melhor sobre essa coisa de Incompatibilidade de químicas e crescimento capilar.

Incompatibilidade de químicas - O que você precisa entender

O maior problema esta em NÃO ENTENDER que um cabelo, que já foi processado quimicamente, é mais frágil que outros.

Mesmo que ache que "não" os danos que a química provoca no fio começa na mudança de estrutura. Então só pense que seu cabelo toma uma forma que não é dele. Evidente que ele sofre ao longo do tempo com essa mudança.

Além dos danos da química (a longo prazo) ainda tem os danos externos.

Mas o problema não é tão rápido assim nessa estrutura moldada. A coisa fica feia depois de tempos fazendo a progressiva, selagem ou o que for nesse sentido de redução, e ainda com curto espaço de tempo!


Porque chama esse cabelo de Frágil?

Porque o fio foi forçado a mudar sua estrutura. Você ainda não conhecia os tratamentos certos e levou tempo usando máscaras condicionadoras. Não perdeu tempo e fez a química 4 a 5 vezes por ano! E por incrível que pareça ainda usa chapinha e coloriu o cabelo!!

Só na descrição acima consegue identificar porque esse fio é frágil? São erros sucessivos e que só resultam em problemas no cabelo e couro cabeludo.


Dai entra a Incompatibilidade de químicas

Depois de tudo isso aí em cima, que "pode" acontecer no cabelo. Se trocar a química sem informação, num cabelo sem resistência e com danos, acontece a Incompatibilidade de químicas.

Uma vez feito o procedimento e não necessariamente correto no retoque, pode ser perda trágica de cabelos. E é aqui que mora o problema, a maioria das vezes não acontece no mesmo momento da química, só vem a perceber a queda após, e depois o problema é de quem?





Cuidado com o Henê

E o henê? Esse tipo de produto contém metais  e NÃO é compatível com nenhuma química alisante, segundo profissionais, um cabelo modificado com henê só pode ser transformado com química alisante após 2 anos!!


Incompatibilidade de quimicas O cabelo pintado de loiro ou qualquer outra cor deve ser avaliado para passar por esse tipo de procedimento, principalmente cabelos loiros, uma amiga profissional sempre fala, “Escolhe: Ou loira ou lisa!”. 

Já as progressivas ainda podem ser “relevantes” quando o assunto é cabelo loiro mas, isso exige habilidade de profissional.

Ah! E quando a gente pensa que falou tudo… ainda tem as hennas!! Que é isso? É um método de coloração incompatível com hidróxidos, e o que é hidróxidos: Alisantes!!

Ainda assim com pouquíssimas informações, não adianta chegar no salão e falar, a … “Tô nem ai, pode fazer!!!”.  Amiga, o depois, é você que sabe se tem força para aguentar, tratamento capilar, crescimento dele… e sua autoestima lá embaixo.

O maior problema nessas incompatibilidade de químicas é a fragilidade do cabelo, uma vez quebrado, com corte químico pra ele crescer novamente, já sabe a luta, principalmente quando se tem cientificamente comprovado que não vai passar de 2 cm por mês!

Pense nisso!
  • Teste sempre, principalmente se não sabe a química que o cabeleireiro anterior fez e vai passar por outra química;
  • Quando se tem cabelos loiros e oxidantes acima de 30 é preciso atenção especial… cuidado loiríssimas!
  • A confiança no profissional é muito importante, porque é dever dele saber o principio ativo da química que vai fazer no seu cabelo além de testes antes para saber a compatibilidade.

É bonito ter cabelo liso, e mais comodidade para tratar, e passar a chapa, talvez, mas pense que é um tecido morto, assim como uma esponja, vamos continuamente doando ao fio o que ele precisa, sempre e sempre, porque nada deixa ele totalmente isento de tratamento.

Beijos
Boa semana


Este conteúdo é original de PnC