Componentes que fazem mal ao cabelo.


Componentes do Mal

Oi gente! Tão boas?

O assunto é sério, sabe porque?

Porque estão todas ficando confusas com essa história de petrolatus, óleo mineral, silicones, etc… Antes de eu colocar a química aqui, e olha que ela ta querendo falar muito sobre as “verdades da net” eu vou contar o que penso.

A composição dos produtos cosméticos faz mal? Pode até fazer, eu não sou formada na área sabe gente, e também não confio em tudo que esta na net, por isso, desde que tenho o blog procurei colaboradores que entendessem do assunto pra explicar as verdades, mentiras e os vários mitos que existem.

Gente, sou cidadã desse país e em nada diferente de milhares de brasileiros que lutam para ter conforto na sua casa, que trabalham para sustentar a família, e como muitos deles,  nem sabia nada do que vinha escrito ali atrás do produto, uso há muito tempo, se impregnou no meu organismo talvez eu saiba disso daqui mais uns 40 anos, porque vou fazer 36 e já uso os petrolatos da coloração desde os 19 ! Se a composição fizesse tão mal assim em grande escala, as próprias empresas tirariam de circulação, já imaginou milhares de processo por uso do produto fazendo mal ao organismo?

Você acha que sou contra sobre a pessoa que não quer usar esses ativos?
Claro que não minha gente, vivemos numa democracia, existe a liberdade de expressão, cada um no seu quadrado é assim que funciona.

Sei que tem técnicas de tratamento para cabelo cacheado e até chamei uma amiga para colocar aqui como eles fazem o cronograma e os produtos e ativos que podem ser utilizados, porque o cabelo é diferente na sua estrutura e se eles tem um motivo para não usar ativos e componentes eu acho super legal e respeito isso, sempre fico de olho no trabalho deles porque admiro a técnica de tratamento!

Agora, não vou fazer campanha contra os produtos que vendem no mercado, que minha mãe usa, minhas sobrinhas, minha família inteira, como vou chegar para as meninas desse Brasil que seguem e falar… Viu gente! Todo mundo ai olhando a composição… Isso é totalmente enviável. E sabe o que eu fiquei sabendo? Se a história repercutir muito, vão mudar os ativos por outro, talvez ainda mais barato (não sei não sou química) com outra nomenclatura, e aí? Como vamos reagir?

Tenham bom senso com isso… Eu imagino tudo isso como um Fast Food: Você sabe que a gordura vai te deixar doente, corantes artificiais, etc vai te fazer mal, mas consome, sabe que cigarro vai te deixar com câncer… É uma questão de opinião e modo de vida, quer comer carne? Coma, quer comer verdura, coma também. Só isso!

Espero que fique claro a minha opinião sobre o assunto, até porque estou do lado de milhões de brasileiros que não pesquisam componentes na Internet e que usam os produtos que tem no mercado, sendo essas pessoas igualmente protegidas pela lei como eu!

Se há técnicas de tratamentos mais eficientes e que não fazem mal ao organismo, acho ótimo, isso demonstra claramente que tem pessoas pesquisando o que estamos usando e se for de uma maneira geral um ATIVO DO MAL ele será abolido com certeza!

A química fala:
Lucy, nenhum componente cosmético consegue grudar no fio ao ponto de não sair com qualquer tipo de shampoo pois se fosse assim não precisaríamos nunca repetir as hidratações, cauterizações e tratamentos de reconstrução da fibra, pois se as matérias-primas “grudam” após várias lavagens estaríamos com os cabelos lindos ainda.
Para condicionadores, máscaras, leave on, o óleo mineral traz lubricidade: propriedade de facilitar o deslizar do pente nos fios úmidos e secos; tem bom índice de refração: ajuda no brilho dos fios; não causa alergias, não interfere na ação dos demais ativos da formulação; ajuda a dispersar e solubilizar certas matérias-primas e é usado desde os primórdios dos tempos na cosmetologia.