A Ordem da ANVISA sobre o Acido Glioxilico

surdo

Oi gente! Tão boas? Quem não A Ordem da ANVISA, no Fantástico, sobre o Acido Glioxilico. A reportagem falava sobre a química da progressiva, com acido glioxilico, em crianças e gestantes e a liberação de formol, que todos sabemos é prejudicial a saúde a longo prazo podendo causar até câncer.

Antes de comentar sobre isso, quero lembrar que o formol havia sido totalmente abolido, até a ANVISA aceitar um “dossiê” que constava o formol a 0,2%. Seja lá qual o motivo do dossiê foi interessante para o órgão regulamentador voltar o formol mesmo que em concentração baixa as progressivas.

Leia:

Sobre o Acido Glioxilico


O acido glioxilico é uma química presente nas escovas progressivas, uma vez falei aqui sobre o afinamento do cabelo com essa química, falado pelo DR Alcântara na Revista Viva Beleza.

Leia:

Já se sabe que o acido glioxilico quando passado por alta temperatura sofre uma reação química que vira formol, porem nunca foi identificado em testes laboratoriais qual o grau de risco desse formol liberado, de forma gasosa, com a saúde da cliente e do profissional que fazem a química tudo no mesmo ambiente.


Pergunta: Quem determina e classifica o grau de segurança das escovas progressivas e a liberação de formol através da química? Porque a gerente disse “Não compre acido glioxílico” quando existem inúmeras progressivas com esse ativo no mercado, documentado e registrado como grau 1 pela própria ANVISA?


Tô meio confusa, mas peço ajuda de vocês meninas, pra poder debater o assunto em questão.

Falaram sobre o acido glioxilico estar na classificação de grau 1 pela ANVISA, mas quem faz essa classificação? É a ANVISA? Ou o próprio fabricante tem o direito de originar a química de sua progressiva por grau seguro ou não para crianças e gestantes?

De outra forma, isso vem sido usado a bastante tempo, então me pergunto: Como que a gerente da ANVISA diz “Não comprem acido glioxilico” Se isso já estava liberado a tanto tempo, só agora vem falar isso?


Pergunta: Outra coisa, como que a gerente da ANVISA prega que todas aquelas escovas progressivas burlaram o próprio orgão que gerencia?


Tipo, não tem uma organização, fila, tabela, esquema, planilha, perai… eu peço que por favor me ajudem a entender, mas como que tantas empresas burlam isso? Como esta no rótulo a liberação pelo próprio orgão?

Não seria necessário maior determinação de um orgão que estabelece normas perante a sociedade sabendo que algo vendido possa vir a prejudicar a saúde do ser humano?


Outra pergunta: Há uma concentração segura dessa química (acido glioxilico) para que usando a chapa o formol liberado não ultrapasse a concentração permitida?


Vamos mandar essas perguntas para ANVISA?

Meninas o que souberem sobre o assunto, vamos conversar, aqui ou no face, quero a opinião e o entendimento de vocês.

Beijos